domingo, 24 de novembro de 2013

BICICLETAS EM AMSTERDAM





PEDALANDO COM SEGURANÇA PELAS CICLOVIAS DA HOLANDA


Conhecer Amsterdam sob duas rodas é uma experiência inesquecível. Combina com a atmosfera casual e romântica da cidade, facilita o deslocamento pois tudo é plano. Como a cidade não é grande o tempo rende e se locomover de bike é muito mais rápido e sem dúvida, divertido. A cidade é vista com outro olhar quando você tem a oportunidade de deslizar pelas ciclovias, através das ruas estreitas do centro, ao lado dos inúmeros canais, pontes, parques e bairros fora do circuito turístico. Aliás vale a pena dar uma esticada até alguns bairros. Além de poder sentir de perto o dia a dia dos locais, como respira a cidade e como é viver em um lugar em que a bicicleta é parte indispensável da rotina e o meio de locomoção de todas as classes sociais. Super recomendo! porém com alguns cuidados. 
Apesar de toda a infraestrutura e das utópicas e famosas ciclovias holandesas, não se engane, elas não são um parque de diversões, como muitos pensam. Vejo diariamente pessoas totalmente sem noção andando irresponsavelmente por aí. Pode ser diversão sim, mas com o devido cuidado.
Engana-se quem pensa que basta apenas saber andar de bicicleta e pronto. Deve-se ter em mente que os moradores locais não estão a passeio como os turistas por exemplo. Eles usam as ciclovias para se locomover em suas atividades e compromissos diários. Portanto são práticos e objetivos e geralmente andam rápido, muito rápido.
Embora a cidade seja organizada de modo a acolher todos os tipos de veículos, existem regras que devem ser seguidas a fim de que sua experiência seja feita com segurança.
Logo que você chega, tendo certamente o centro como referência, pode parecer uma bagunça aquele movimento todo de carros, trams, pedestres e bicicletas. Mas logo, logo, você percebe que é só aparência. Principalmente quando você passa a fazer parte daquela “bagunça”. Visto de dentro, o trânsito funciona muito bem para todos, sem maiores problemas, mas deve-se estar atento e seguir as regras. É claro, nem todos seguem as regras exatamente como deveria ser, mas por conta disso os acidentes acontecem e às vezes sérios. 
Existem semáforos para todos os veículos e pedestres, inclusive é claro para as bicicletas. Em algumas ruas o tram circula muito próximo dos pedestres, nesses casos as bicicletas não são permitidas, você pode no entanto levá-la empurrando.
Na Holanda os ciclistas e pedestres tem prioridade no trânsito, antes de carros, ônibus, trams e trens. Sempre que há o envolvimento de algum veículo automotor a prioridade é dada ao ciclista. Mas atenção, isso não significa que o ciclista tem sempre razão. Assim como os demais veículos que trafegam pelas vias, os ciclistas devem respeitar as regras, caso contrário é problema na certa, além de multa e o valor não é pouco. 
Há regras específicas para ciclistas, pedestres e veículos automotores. As regras básicas todos devem conhecer. Por exemplo, ao anoitecer as luzes são obrigatórias, os policiais podem (e fazem) parar e multá-lo se sua bike não estiver ok.

Existem vários tipos de ciclovias localizadas nas principais vias: ciclovias separadas da rua, junto da rua com faixa pontilhada no asfalto, junto da rua com o pavimento na cor vermelho, ciclovias dentro de túneis, sobre pontes, embaixo de viadutos. Mas todas têm em comum o sinal de uma bicicleta marcado no chão, indicativo de ciclovia - pra saber se você está na mão certa observe que o símbolo da bicicleta deve estar de frente pra você. As ruas vicinais (ou secundárias, adjacentes) bem como ao longo dos muitos canais, não tem ciclovias demarcadas mas é permitido circular pela maioria delas. Nesse caso (nos canais) observe  a norma: tendo você como referência, lado direito vai, lado esquerdo vem. 
Elas estão por toda parte. Porém deve-se observar sempre os sinais de transito indicativos de permissão ou não de bicicletas naquela rua.
As ciclovias são organizadas seguindo o trânsito de mão dupla. Ou seja, segue o fluxo dos carros: uma mão que vai num sentido e outra que vem no sentido inverso (do outro lado da rua). Há alguns trechos de ciclovia de duas mãos (na mesma ciclovia), mas são raros. Espera-se que os ciclistas sigam na direção certa. É claro que sempre tem aqueles ‘desorientados’ ou mesmo aqueles que sabem das regras, mas insistem em seguir no fluxo contrário. Um super incômodo eu diria. 
Embora pedalar lado a lado (na ciclovia) é permitido por lei – é super recomendado ficar sempre à direita da pista dando passagem aos mais velozes pela esquerda. Sempre tem alguém com mais pressa do que você, especialmente se você for turista. Aliás, segundo as normas da boa convivência essa regra vale sempre que existir uma condição de compartilhar uma via, seja escada rolante, esteira de aeroporto ou mesmo a calçada. 

Algumas áreas da cidade tendem a ser mais movimentadas e o fluxo de veículos/ciclistas/pedestres bastante intenso. Atenção redobrada nessas áreas. Por exemplo, na área da estação central de trens (Centraal Station), Leidseinplein, Dam Square (bem central), ciclovias que levam à Museumplein, na área no De Pijp perto do Heineken Experience e Albert Cuyp Market. Esses locais têm um fluxo grande de pessoas e turistas, portanto a muvuca é maior.
Atenção: As scooters têm sido um real problema nos últimos anos. Detestadas pelos ciclistas e aturadas pelo governo. A velocidade permitida pela lei é 25 km/h, mas pesquisas mostram que mais de 90% dos usuários excedem os limites, em alguns casos em mais de 50% da velocidade permitida. Tentativas de amenizar o problema têm sido feitas pelo governo como checagem da velocidade, campanhas para reduzir a velocidade, etc. Mas efetivamente nada mudou e elas continuam a ser um risco para ciclistas e pedestres, apesar dos esforços em tornar a ciclovias mais seguras. 




De olho na cartilha (e o preço da infração):

1- Respeitar sempre o semáforo para as bikes, ficar atrás da linha demarcada, anterior à faixa de pedestres. Passar em sinal vermelho é multa de 85 Euros;
2- Quando for virar para a direita ou esquerda além de uma olhada básica para trás com o canto do olho, SEMPRE indique com o braço esticado a direção escolhida (isso é lei). Procure nunca parar na ciclovia, escolha um local adequado para isso. Você vai ver que muitas pessoas fazem isso e também não seguem as regras direitinho. Mas acredito que quanto mais informação você tiver mais seguro se torna seu passeio. 
3-  Ciclistas e pedestres! atenção redobrada às scooters que circulam pelas ciclovias. Ás vezes você não percebe que elas se aproximam, somente durante a ultrapassagem quando estão em cima de você. Também ao atravessar a rua, seja de bike ou a pé, olhe com atenção para os dois lados. 
4- Se alugar uma bike ou pegar emprestada de um amigo, verifique se as luzes funcionam (se for andar à noite ou a tardinha). Circular sem luzes na bike é multa de 50 Euros - mais 35 Euros de não tiver algum dos refletores: um vermelho atrás; amarelo na frente e atrás dos pedais. As luzes obrigatórias são: luz branca na frente e vermelha atrás - pode ser também uma luz avulsa presa em algo fixo. Atenção: luzes piscando são proibidas.
5- Verifique a buzina, mas só use em casos necessários. Aqui ninguém fica buzinando à toa (nem mesmo os carros). Usar a buzina á toa é também passível de multa. Buzina defeituosa 35 Euros;
6- Atravessar as ruas sempre nos locais indicados para as bikes. Se for cruzar em algum outro local faça-o com atenção. Ultrapassar na faixa de pedestres 140 Euros;
7- Atenção pedestres/ciclistas: os táxis, ambulâncias e polícia também podem usar a via onde circulam os trams, portanto cuidado ao atravessar a rua, você pode ser pego de surpresa. Os táxis andam muito rápido também. Eu particularmente acho essa observação muito importante já que a maioria das pessoas espera somente o tram nas vias dos trilhos.
8- Em uma junção (cruzamento) normal, sem sinalização, o tráfico vindo da direita tem prioridade;
9- Quando circular por uma ciclovia onde também circulam trams, fique atento: ande o mais longe possível dos trilhos. O pneu da sua bike pode ficar preso dentro das canaletas dos trilhos e aí é problema na certa! Além do evidente cuidado com os trams.
10- Se for pedalar dentro dos parques verifique se é permitido (nem todos são). No mais famoso, o Vondelpark é permitido. Atenção, mantenha sempre à direita e não obstrua o caminho parando de repente ou no meio da pista. Fique atento ao cruzar a pista e sempre dê sinal com o braço. 
11- Placa redonda vermelha com travessão branco no meio = não permitida a entrada
Behalve (brom) fietsers = exceto para ciclistas e ciclomotores / Uitgezonderd = exceto 
12- Atenção ao lugar onde estacionar sua bike. Nunca cadeie em árvores ou locais não permitidos. A prefeitura eventualmente recolhe as bikes em lugares proibidos. Dê preferência aos racks apropriados para esse fim.














Por aí que eu vou...
sugestões de passeios de bike:

1-Rota pelo Amsteldijk, direção à vila de Oudekerk Aan de Amstel (+- 9km de Amsterdam)



2-Grachtengordel – ou o cinturão dos principais canais centrais: Singel, Herengracht, Keizergracht, Prinsengracht. 






3- Amstel – pedalar ao longo do maior canal que corta a cidade. Magere Brug, Hermitage Museum.








4- Centro antigo – 
Praça Dam, Rembrandtplein, Jordaan, Nieuwmarkt (conhecido pelos locais como De Wallen, é aqui que fica o Red Light District (o bairro mais antigo da cidade) as famosas e infames janelas onde as moças se expõe pra vender seus ‘serviços’. Também abriga a zona dos chineses com o Templo Budista. Muitos restaurantes, cafés e lojas. Aqui também fica a De Ouderkerk a igreja mais antiga da cidade, hoje um espaço para exposições de artes.




5-Zuid 
Oud Zuid - Uma grande área residencial. Formada por áreas menores como Apolobuurt, Museum Quarter, Rivierenbuurt, De Pijp.
Apolobuurt é uma área nobre, antigos moradores e presença forte da comunidade internacional. Aqui estão duas escolas internacionais: British School of Amsterdam e AICS, Amsterdam International Comunity School. Formada por largas avenidas arborizadas, monumentos e arquitetura típica da Escola de Amsterdam dos anos 20/30 (arquiteto Van Berlage). O coração desse bairro é a rua Beethovenstraat, onde se concentra o comércio local: inúmeras lojas de moda, perfumarias, joalheria, livrarias, cafés, etc. Tem o Beatrixpark, Olimpick Stadium, charmosos canais e pontes e o Zuidas, uma região de prédios comerciais e residenciais, onde fica a Zuid Station. Tram 5 e 24.
No Museum Quarter estão o Van Gogh Museum, Rijksmuseum, Stedelijk Museum, Concertgebown,  Diamonds Museum Amsterdam,  as ruas Van Baerlestraat e PC Hooftstraat.


DePijp – antigo bairro operário e de imigrantes se transformou num lugar da moda por jovens e estudantes. Aqui está o mais antigo e famoso mercado de rua da Holanda, o Albert Cuyp Market, verdadeiro emblema holandês. Circular pelas ruas do bairro pode trazer boas surpresas. Grande concentração de cafés charmosos, restaurantes e comércio. A vida noturna também é agitada por aqui. Ainda mantém um ar nostálgico de passado – lojinhas antigas e um tanto bizarras- e um mix de moradores das mais diferentes origens. A Heineken Experience, popular museu da cerveja holandesa, também fica aqui, pertinho do Albert CuypMarket. Aqui é o único bairro da cidade – exceto o red Light District, onde há janelas de prostituição – na Hobbemakade, por exemplo.
Tram 4, 16, 25.
Rivierenbuurt – onde está a RAI - o centro de convenções/ congressos de Amsterdam. A rua principal é a Scheldestraat, com comércio variado entre lojas, cafés e restaurantes. Tram 4 e 25.

6- East Side

The Plantagebuurt – Uma região próxima do centro que vale uma visita. Diversos interesses turísticos:
Waterlooplein, uma praça que abriga diariamente um mercado de pulgas muito popular. No mesmo local está o:
Hetmuzietheater casa que abriga espetáculos do Ballet Nacional e da Opera Nacional. No mesmo prédio está a prefeitura de Amsterdam.
Magere Brug, a mítica ponte de madeira que faz parte do cenário e da paisagem urbana da caidade;
Hermitage Museum, sempre com exposições temporárias vindas do acervo do Hermitage da Rússia;
Artis Zoo (zoológico de Amsterdam);
Hortus Botanicus;
Jewish Museum, como o nome diz tudo sobre a história do povo judeu. Inclusive com eexposições de arte temporárias;
Sinagoga Portuguesa;
Kadijken, uma área que consiste de cerca de cem armazéns do início do século 18. O Kadijkenbuurt é localizado em um antigo dique construído para ajudar a conter o lago IJ;
Nemo Science Center, um museu interativo para todas as idades;
OBA a Biblioteca Publica de Amsterdam, moderna e ampla, com um restaurante/café no último andar e uma vista linda da cidade.
Java Island - uma peninsula localizada a sudeste da cidade cercada de água por tres lados e tendo como vizinho o bairro KNSM Island (de frente para Centraal Station lado esquerdo). Arquitetura pós moderna em alguns prédios, pontes e canais.

Watergraafsmeer é uma das áreas mais verdes da cidade (Frankendael Park), uma área residencial com ruas tranqüilas. O único bairro em Amsterdam que é realmente construído em um polder holandês. Tram 9 e 14.

Magere Brug


7- West side
È uma larga e extensa área composta por diversos bairros com características diferentes.
Jordaan – bairro junto ao cinturão de canais bem próximo ao centro. No passado foi um bairro da classe operária, atualmente é um dos locais mais modernos e requisitados por locais. Restaurantes, cafés, lojas de estilo e o típico charme e estilo holandês de ser.  
Os bairros mais afastados do centro tem sua peculiaridade e também sua beleza. Muitos abrigam imigrantes.
Westerpark (tem o Culture Park Western Gas Factory (Cultuurpark Westergasfabriekno  Westerpark com área de cinema, teatro, exposições – tram 10, parada Van Hallstraat;

8- Old West
Ao norte do Vondelpark, uma pequena área residencial que se tornou mais modernizada nos últimos anos. Alguns pontos turísticos interessantes são: o Vondelkerk (Vondelchurch) e a Hollandsche Manege, a mais antiga escola de equitação na Europa Ocidental.

9- Rotas de bike por toda Holanda-  (tbm oferece Belgica e Alemanha) 
O site é ótimo, oferece rotas prontas ou voce pode faze sua propria rota indicando um ponto de partida e de chegada. Mostra a distancia e o tempo de duracao e a descricao da rota, o que voce vai encontrar pelo caminho. O link que escolhi leva para rotas nas ciclovias aqui na regiao de Amsterdam/Nord Holland. Mostra o percurso e a distancia a ser percorrida. 
Recomendo as rotas:
In Amsterdam langs de Amstel
Heide en bos tussen Hilversum en Laren
Langs het Ij naar het Rijksmuseum
Rondje Amsterdamse Bos - pra quem gosta de natureza, rota para criancas, dentro do imenso parque  AmsterdamseBos tem lagos, atividades para criancas, fazendinha de bichos e parquinho.




Nenhum comentário:

Postar um comentário